(R)Evolution, baby! – A revolta dos artistas no mundo da música

Por: Ísis Alves

“Londres, 4 out (EFE) – Estrelas da música britânica, como o grupo Radiohead e o cantor Robbie Williams, se uniram em um grupo de pressão, para terem um maior controle de seus trabalhos frente às gravadoras(…)”

“(…)A chamada Coalizão de Renomados Artistas é integrada por mais de 60 solistas e bandas, entre eles a cantora Kate Nash e os grupos Kaiser Chiefs e The Verve.(…)”

“…”É hora de os artistas terem uma voz coletiva forte para lutar por seus interesses”, afirmou a respeito Brian Message, agente do Radiohead e de Kate Nash.(…)”

“(…)Os membros do grupo de pressão acham que, na era digital, a música que compõem pode ser vendida e utilizada por muitos mais canais que no passado, o que faz muitos artistas se sentirem excluídos desses novos mercados.

“Gravadoras e companhias tecnológicas estão assinando acordos para levarem a música aos fãs de novas maneiras”, destaca o estatuto da coalizão.

“Os artistas”, diz o texto, “não participam dessas negociações e seus interesses provavelmente são considerados por alto. Os artistas deveriam receber uma compensação justa por esses acordos”.(…)”

(fonte:http://br.noticias.yahoo.com/s/04102008/40/entretenimento-estrelas-da-musica-britanica-se-unem-gravadoras.html)

Ok. Nada mais justo, não? Será que século XXI e Internet diz algo para as gravadoras? É claro que sim. Afinal, se não dissesse ela não procurariam novos meios de atingir seus consumidores, até porque qualquer pode notar a diferença nas vendas dos cds físicos após a invenção de uma coisinha chamada download. Estamos vivendo na era da tv digital, da interatividade entre meios de comunicação e usuários e ainda que não estivessemos, os artista deveriam (desde de sempre) ter direitos sobre o seu trabalho desde da prática ao financeiro. Boa sorte aos nossos caríssimos artistas britânicos e que essa “onda de união” passe pelos outros continentes também.

Objetivos da ‘Coalizão de Renomados Artistas’:

– Ter os direitos autorais de suas músicas (atualmente nas mãos de muitas gravadoras)

– Aumentar a participação nas vendas e na divisão dos lucros

Recentemente, várias bandas lançaram seus álbuns na internet, sem o apoio de grandes contratos com gravadoras.

(Fonte: EFE)

Anúncios